Cultura

Sete curiosidades da cebola do Outback

Sempre que pensamos em Outback a primeira coisa que vem à mente é a famosa cebola. A Bloomin’ Onion está no cardápio há quase 30 anos e realmente é a opção mais pedida da casa. Por ser uma paixão internacional resolvi trazer para vocês sete curiosidades desse prato delicioso.

1 – a Bloomin’Onion® é um ícone do Outback há mais de duas décadas, desde sua inauguração em 1988 nos EUA. A receita chegou ao Brasil juntamente com o restaurante em 1997 e segue sua receita original até hoje;

2 – A cebola fica imersa em água e gelo por volta de 4 horas para que as pétalas se abram;

3 – O instrumento usado para cortar as cebolas se chama Glória, que significa agradecer em latim. Antigamente, o corte era feito manualmente usando uma faca e quando a nova ferramenta chegou aos restaurantes, os outbackers – como são chamados os colaboradores – consideraram que a rapidez para cortar o aperitivo era uma glória. Atualmente, o corte de cada Bloomin’Onion é feito em 1 minuto;

4 – A cebola gigante do Outback tem o formato inspirado na flor australiana Waratah que geralmente tem cores avermelhadas, cerca de 10cm de diâmetro e floresce na Austrália nos meses de setembro e novembro. Bloom significa florescer;

5 – A produção desse aperitivo acontece tanto em território nacional quanto em outros países. Brasil, Estados Unidos, Espanha, China e Chile são regiões propícias a este cultivo;

6 – O famosos molho que acompanha a cebola se chama Bloom. Ele é feito de raízes fortes e a receita é uma exclusividade do Outback;

7 – Há 14 anos é realizado o Bloomin’ Day, dia especial em que a venda líquida da cebola gigante Bloomin’Onion é revertida para as atividades de uma instituição. No Brasil, o evento solidário está em sua 12ª edição. Em 2017, a ação ocorrerá em outubro.